Castelo de Bran, na Romênia: conheça suas histórias e lendas


Castelo do Conde Drácula (Castelo de Bran)


A Romênia, localizada no leste europeu, foi por muito tempo um reino soberano que perdurou até 1947, quando o atual rei da época abdicou do trono e o parlamento o estabeleceu como República.


E é na Romênia, mais precisamente na Transilvânia, que está localizado um dos castelos mais famosos do mundo: o castelo de Bran, retratado no clássico livro do escritor irlandês Bram Stocker como a morada de Conde Drácula .


Mas, afinal, o que é lenda e o que é real sobre esse monumento tão lendário?

Neste post contaremos um pouco de sua história e mitos conhecidos em todo o mundo.


a história do Castelo de Bran


O castelo foi construído entre os anos de 1377 e 1388 , a princípio como uma fortaleza militar e, posteriormente, serviu como posto de coleta de impostos e o lar de reis e rainhas.


A residência começou a ganhar fama no ano de 1897, quando Bram Stocker publicou seu livro mais famoso: Drácula.


Em sua história, Drácula é um conde que vive em um castelo no alto de um vale, fixado em uma rocha, com um rio abaixo e situado no Principado da Transilvânia e o único castelo da região que se encaixa nessa descrição é o de Bran, daí sua fama como o Castelo do Conde Drácula.


Com a publicação do livro, muitas pessoas começaram a confundir realidade com ficção, uma vez que o personagem de Bram Stocker faz alusão ao com o Conde Vlad Tepes, também conhecido como Conde Vlad Dracul e que serviu de inspiração para o autor.


Vlad Tepes III foi um príncipe da Valáquia e é tido pelos romenos como um grande herói, embora possua fama de ter sido um guerreiro sanguinário e implacável; ele pertencia à Ordem do Dragão, o que originou o nome Dracul.


Sua fama de guerreiro sanguinário foi a razão de ser retratado na obra fictícia como um vampiro bebedor de sangue.


O Conde viveu de 1431 a 1476 e foi uma das principais figuras na luta contra os turcos durante o período das cruzadas.


O Castelo, além de ter passado pelas mãos da realeza, em 1956 passou ao poder dos comunistas e, durante o tempo que esteve com eles, foi utilizado como museu. Apenas em 2009 voltou às mãos dos herdeiros legais.


Romênia

lendas e mitos sobre o Castelo de Bran


Embora Bram Stocker tenha escrito em seu livro como Conde Drácula virou um vampiro, o mais temido de todos os tempos e tenha feito descrições sobre o castelo, para os romenos não existe a mitologia do Conde Vlad como um vampiro.


O criador do Drácula nunca esteve no Castelo e escreveu sobre ele apenas com base no que ouvia de terceiros; além disso, não consta nenhum fato concreto de Vlad III tenha vivido lá, seu local de refúgio e estadia sempre foi a fortaleza de Poenari.


O que é mencionado por alguns é que a famosa morada foi apenas onde ele ficou preso por dois meses, quando capturado por um rei húngaro.


Na Transilvânia há lendas sobre o local ser mal-assombrado, guardar sussurros e energias e os romenos, é claro, aproveitaram a fama conquistada através da obra literária para ganhar e conquistar turistas.


Hoje, depois de ter voltado para seus verdadeiros herdeiros, o castelo pertence é aberto à visitação, sendo divulgado como a residência de Conde Drácula e recebendo anualmente mais de meio milhão de pessoas, sendo grande parte dessas pessoas turistas fãs de literatura.


Transilvânia

E aí, você visitaria o Castelo de Bran?