5 receitas estrangeiras adaptadas pelo Brasil

Comer é um dos maiores prazeres em quase todos os lugares do mundo e cada receita tem seus encantos, origens e influências.


O Brasil, com sua imensa diversidade cultural e diversos povos que ajudaram a construir a história que vivemos hoje, aderiu a variados tipos de culinária e adaptou com o nosso jeitinho brasileiro de deixar tudo ainda mais gostoso.


Para este post, trouxemos alguns exemplos culinários que foram adaptados e deixam feliz o nosso paladar. Continue lendo e confira quais são eles.

acarajé

Pensou que o famoso acarajé tinha nascido na Bahia, não é? A verdade é que o acarajé comido na Bahia tem origem africana; o nome vem do termo “Akara”, que na nação africana Iorubá, significa bolinho de feijão.


A partir deste bolinho, o povo baiano adaptou a receita com temperos abundantes no Brasil e hoje temos essa maravilha que é o acarajé, tão procurado pelos turistas.


acarajé

cuscuz

O cuscuz teve sua origem no norte da África, na região de Magreb. Em sua receita oficial os africanos utilizavam uma mistura de cereais com água para fazer a massa, vegetais cozidos e algum tipo de carne, com a escolha dos vegetais e da carne variando conforme o costume local.


No Brasil, o cuscuz tem uma grande variação de receitas; no Nordeste é feito com farinha de milho e pode ser doce ou salgado.


Em São Paulo, o famoso cuscuz paulista é comido apenas em sua versão salgada e, além da farinha de milho, costuma ter em sua mistura ervilha, milho cozido, azeitona, ovo cozido, tomate e sardinha.


cuscuz

estrogonofe

A origem do estrogonofe é russa e seu nome foi inspirado no nome de uma família da realeza russa do período czarista. Embora tenha nascido na Rússia, com ingredientes típicos de lá, o chefe responsável pela receita era francês.


Em sua receita original é feito com tiras de carne douradas, mostarda e um sour cream próprio de seu país de origem; seu acompanhamento tradicional é o purê de batata.

Ao longo dos mais de 100 anos de existência a receita passou por transformações significativas.


A culinária francesa acrescentou à receita os não tão populares cogumelos, a culinária dos Estados Unidos acrescentou o Ketchup e trocou o purê de batatas pela batata frita, a culinária brasileira acrescentou o creme de leite e o molho de tomate, além do arroz e batata palha como acompanhamento.



estrogonofe

bacalhoada

Prato típico da culinária portuguesa, era inevitável que se reproduzisse no Brasil como herança da colonização.


A história do consumo do bacalhau como prioridade tem uma ligação direta com o período das grandes navegações.

Por ser um peixe salgado e bastante seco, era um dos alimentos menos perecíveis e que poderia ser consumido sem danos pela tripulação das caravanas de colonizadores.


No Brasil a bacalhoada é preparada com tomate, azeitonas pretas, ovos e batatas cozidas e virou tradição nas refeições da Páscoa; algumas receitas usam apenas o bacalhau e as batatas e misturam com requeijão ou creme de leite.


bacalhoada

kibe

Nome originado da palavra “kubbeh”, que em árabe significa bola, o kibe é originalmente um bolinho feito de carne e temperado com ervas; a origem desse quitute é mista e se deu na Síria, Líbano e Iraque.


Chegou ao Brasil com os imigrantes árabes; é preparado também com farinha de rosca e é comum em pastelarias e restaurantes ser oferecido com ketchup e limão para acompanhar.


kibe

Ler esse post deve ter dado água na boca, não é?

Viaje com a gente e prove essas delícias direto da fonte.